Redação em 7 Lições

Aprenda de modo fácil e descomplicado a escrever excelentes textos dissertativos para concursos públicos, vestibulares e provas do Enem. 

Com este curso, você aprende!



Redação Dissertativa


É PRECISO MAIS QUE O TREM-BALA

Fonte: JB Online


Muito se tem falado sobre o projeto do trem-bala, que vai ligar o Rio a São Paulo, passando por Campinas, cuja conclusão total da obra não deve ocorrer até a Copa 2014. Mas, fora isso, pouco se fala de trem no Brasil. Em reporagem publicada ontem pelo JB, ficou claro o quanto o país poderia ganhar se levasse mais a sério esta questão.

Em tempos de aquecimento global e busca, em todo mundo, por alternativas de economia de combustível, é de se espantar que a malha ferroviária brasileira ainda esteja tão aquém do que seria o ideal para que o Brasil aliviasse o fluxo de caminhões, carros e ônibus em suas estradas, diminuindo, dessa forma, a emissão de CO2, o número de acidentes e os desgastes de nossas rodovias já tão maltratadas.

Os números não mentem: como nos informou a matéria de Ana Paula Siqueira, o Brasil precisaria ter 52 mil quilômetros de ferrrovias para que o trem pudesse cumprir sua função com eficiência em toda a extensão de nosso território. No entanto, o país só conta com 28.800 quilômetros. Destes, 23.900 quilômetos ainda usam a velha bitola estreita, que impossibilita uma velocidade maior que 50km/h, dificultando ainda mais as coisas em relação ao transporte de carga e também de passageiros.

Mais espantoso ainda é não vermos nem ouvirmos os candidatos à Presidência tocarem no assunto, a não ser quando falam do moderno trem-bala, mesmo assim, sem afinarem suas opiniões a respeito.

Já passou da hora de o país prestar atenção para a questão ferroviária, e levar a sério o problema. Afinal de contas, como a própria reportagem nos informa, apostar no transporte ferroviário significa apostar também num meio de transporte mais seguro e muito menos poluente.

O desafio é enorme, e passa não apenas pela construção de novas ferrovias, mas pela recuperação da malha já existente que, em muitos casos, se encontra sucateada e até mesmo invadida por construções irregulares.

Afinal de contas, a quem interessa esse atraso? Quem lucra com a falta de trens e o excesso de ônibus, caminhões e veículos de passeio em nossas estradas? Um país de dimensões continentais como o Brasil não pode abrir mão de todos os meios de transporte possíveis.

Pelo andar da carruagem, e pelas propostas que, até agora, ouvimos dos três principais candidatos à Presidência, a impressão é a de que, ao menos por mais quatro anos, continuaremos praticamente na mesma situação.

Que pelo menos o trem-bala realmente saia do papel, e sirva para acordar as autoridades e também a iniciativa privada para a importância e a urgência de se investir pesado nesta questão fundamental para nosso desenvolvimento.

Fim

Voltar ao Índice

Redação dissertativa 202: Tema: transporte de passageiros.Tópicos: malha ferroviária brasileira, transporte de carga e também de passageiros, questão ferroviária, trem-bala.