Redação em 7 Lições

Aprenda de modo fácil e descomplicado a escrever excelentes textos dissertativos para concursos públicos, vestibulares e provas do Enem. 

Com este curso, você aprende!



Redação Dissertativa


MUITAS RAZÕES PARA NÃO CALAR

Fonte: Gazeta do Povo


A série de reportagens “Diários Secretos” da Gazeta do Povo e da RPC TV despertou na sociedade o sentimento de indignação. Além de os fatos levantados serem extremamente graves, as respostas do governo estadual e da Assembleia Legislativa para a correção de rumos da política local foram erráticas e insatisfatórias. Não é por outro motivo que amanhã vão acontecer atos públicos em oito cidades paranaenses – Curitiba, Cascavel, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco e Ponta Grossa – contra as denúncias de irregularidades no Legislativo paranaense.

Foi por causa das denúncias levantadas pela Gazeta do Povo e pela RPC TV que a Assembleia Legislativa fez o recadastramento de seus funcionários, mesmo assim não a divulgou completamente. Funcionários em cargos de direção não haviam sido colocados na lista divulgada na semana passada. A medida foi divulgada pelos deputados como saneadora, cujo objetivo era justamente reestruturar o setor de recursos humanos da Casa. Contudo, como se observou, falhas sérias continuam existindo. A sociedade quer a transparência total e em tempo real. Dada a quantidade de denúncias que continuam a surgir, não há mais espaço para desculpas sobre “eventuais” erros nas listas de funcionários divulgadas.

É preciso ressaltar que outros fatos irregulares continuaram a ser realizados após o início da série “Diários Secretos”. Até o momento, os Diários Oficiais da Assembleia permanecem ocultos. Atos secretos foram editados. Houve tentativa de obstruir o acesso do Ministério Público a documentos do Legislativo.

Contudo, o Ministério Público cumpriu com o seu dever constitucional. A ação da instituição fez Abib Miguel, ex-diretor-geral, ter sua prisão preventiva decretada no mês passado, junto com outros dois diretores da Assembleia, para que não atrapalhassem as investigações. No início de maio, Bibinho e outras sete pessoas foram denunciados pelo Ministério Público.

O Ministério Público pediu ao Poder Judiciário também o afastamento cautelar do presidente do Legislativo, Nelson Justus, do Democratas, e do primeiro-secretário, Alexandre Curi, do PMDB, por entender que há indícios indicando que, embora não tenham se beneficiado do esquema – foram coniventes com o desvio de recursos públicos da Casa. Justus e Curi foram também denunciados pelo Ministério Público, por improbidade administrativa.

Não há condições de permanecerem no Comando da Assembleia. Há fatos demais. Não afastá-los compromete as investigações e o trâmite processual. Cabe, agora, ao Poder Judiciário cumprir o seu papel e decidir se irá afastá-los de forma cautelar. Analisando friamente não há como nenhum dos membros da Mesa Diretora permanecerem dirigindo a Assembleia Legislativa. Foram no mínimo omissos, para não dizer coniventes, com o desvio milionário de recursos públicos, pois eram os responsáveis pelo controle e administração do Legislativo.

Alguns dos problemas da Assembleia paranaense poderiam ter sido resolvidos pelo governador Orlando Pessuti, do PMDB, caso tivesse vetado o projeto que na prática legalizou cabos eleitorais pagos com dinheiro público que atuam nas bases dos deputados. É claro que o pretexto é sempre nobre – atender às reivindicações dos representados. O resultado, entretanto, já é conhecido – abre-se brecha para funcionários fantasmas, pagam-se funcionários para a promoção pessoal do parlamentar. É esse o Paraná que queremos?

O desfecho de todos os episódios da série “Diários Secretos” ainda não é conhecido. Mas nesses três meses as matérias publicadas têm abalado o Paraná. Há muito ainda que os parlamentares precisam explicar. A sociedade não só está cobrando essa explicação como está se mobilizando para propor mudanças. Esse é o tom do ato público que ocorrerá amanhã.

Fim

Voltar ao Índice

Redação dissertativa 46: Tema: corrupção.Tópicos: redação dissertativa pronta, a cultura da corrupção no Brasil, corrupção política, assembleia legislativa paranaense, políticos corruptos.