REDAÇÃO DISSERTATIVA PRONTA, COMO FAZER UMA REDAÇÃO PARA O VESTIBULAR, COMO FAZER UMA REDAÇÃO PARA O ENÉM, REDAÇÃO PRONTA SOBRE ECONOMIA BRASILEIRA, REDAÇÃO DISSERTATIVA PRONTA SOBRE IMAGEM DO BRASIL NO EXTERIOR, REDAÇÃO SOBRE RISCO BRASIL, REDAÇÃO SOBRE ECONOMIA GLOBALIZADA



O BRASIL REBAIXADO


O rebaixamento da nota de crédito internacional do Brasil pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s é um retrocesso que exige mais do que a reação inconformada da área econômica do governo. É previsível que o Planalto tenha procurado desqualificar a avaliação, com o argumento de que a nota seria inconsistente com as condições da economia e contraditória com o que define como “a solidez e os fundamentos” do país. Os indicadores que a agência avaliou vêm sendo acompanhados internamente por especialistas em contas públicas e há muito tempo não trazem boas notícias. A avaliação independente externa apenas ratifica a percepção generalizada de que o governo descuidou do controle fiscal e não consegue reorientar a economia para que volte a crescer.

A combinação de quase estagnação, de sobressaltos da inflação e de desequilíbrio das contas públicas sustenta a nota, conforme declarações de economistas da própria agência. Há especial preocupação com um dado recente, referente aos custos das compensações que bancarão as perdas do setor elétrico. Especula-se que os subsídios a serem repassados ao setor, na tentativa de evitar um colapso no fornecimento, podem envolver até mesmo aumento de impostos. Interrompe-se com a nova avaliação um período de uma década de elevações na nota atribuída ao Brasil, sempre citado entre as economias com maior potencial de desenvolvimento. Foi pelas virtudes de nação emergente que o país conquistou aos poucos a confiança dos investidores internacionais. Perdê-la agora, quando poderia ampliar a atração de projetos e recursos, é desalentador em todos os sentidos.

Mesmo que os mercados não tenham, de imediato, reagido negativamente à nova avaliação, há um abalo evidente na imagem do Brasil. Agências de percepção de risco existem para orientar a movimentação dos capitais mundiais e, apesar de falhas pontuais, são consideradas cada vez mais importantes para a compreensão da economia globalizada. Ao tentar refutar a análise da Standard & Poor’s, o governo apenas continua se comportando como se estivesse indiferente a uma realidade que preocupa a todos, em especial quem produz. Há indícios de que o descontrole fiscal não é passageiro e de que o país ainda enfrentará, como agravante, os desdobramentos da fragilização da Petrobras, cuja gestão vinha sendo marcada por decisões desastradas.

A correção de rumo deve começar pela admissão das autoridades de que os fundamentos da economia não são tão sólidos como o governo apregoa. A imagem do Brasil no Exterior depende de gestos decididos de quem governa e formula as políticas orientadoras das decisões econômicas públicas e privadas, e não de respostas retóricas. Ficou claro, com esse rebaixamento, que o discurso otimista apresentado pela presidência da república em Davos foi insuficiente para conter a desconfiança internacional. O país precisa reagir com pragmatismo, principalmente na área fiscal, para preservar a credibilidade ameaçada.

Fim


(Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/?topo=13,1,1,,,13)

Voltar ao Índice

Redação dissertativa N/S-1094: Tema: nota de crédito internacional do Brasil.Tópicos: classificação de risco Brasil, classificação internacional do Brasil, redação dissertativa pronta, agência de classificação de risco Standard & Poor’s, contas públicas, como fazer uma redação para o vestibular, controle fiscal, estagnação da economia, como fazer uma redação para o eném, inflação, desequilíbrio econômico, redação pronta sobre economia brasileira, impostos, nação emergente, redação dissertativa pronta sobre imagem do brasil no exterior, investidores internacionais, movimentação dos capitais, redação sobre risco brasil, descontrole fiscal, credibilidade do Brasil, redação sobre economia globalizada.

Qualquer texto, publicado nesta seção, visa a, tão-somente, servir de modelo de redação dissertativa para alunos, pessoas que se preparam a um vestibular ou concurso, ou mesmo para aquelas cujo objetivo é o seu deleite e aprendizagem da arte de redigir. Portanto, os temas não se evidenciam pela cronologia, mas sim como paradigmas de exposição de ideias e opiniões. Assim, uma redação dissertativa, que se refere a um assunto desatualizado, pode ser um excelente exemplo para se redigir sobre o respectivo tema mesmo em outra época.