Mundo Texto




BUMBÁS S/A

Redação dissertativa pronta sobre: bumbás, Festival Folclórico de Parintins, Caprichoso e Garantido, arena do Bumbódromo, associações folclóricas, riqueza cultural, Parintins.

O Festival Folclórico de Parintins encaminha-se para mais uma edição. Em um mês, Caprichoso e Garantido irão ao confronto direto na arena do Bumbódromo e mostrarão ao Brasil e ao mundo o magnífico espetáculo proporcionado pelas nações azul e vermelha, respectivamente. No entanto, com a grande crise econômica instalada no país, eclodiu a velha história do atraso no repasse de verbas às associações folclóricas.

Com exceção da Coca-Cola e de outros patrocínios de menor quantia, o festival depende quase exclusivamente do dinheiro público. Seja do Governo do Amazonas – principal patrocinador -, seja de empresas governamentais como a Eletrobrás e a Petrobrás – mergulhada na maior crise ética de sua história e que cortou diversos patrocínios de projetos culturais.

Os cinquenta anos do festival precisam servir de alerta para a necessidade de Garantido e Caprichoso procurarem novas maneiras para conseguir crescer sem depender tanto do dinheiro do contribuinte. O primeiro passo, talvez, seja retirar a condição de Associação Folclórica sem fins lucrativos ou Instituto e passar a funcionar como empresa, visando lucro e exploração comercial das marcas sem dependência de terceiros.

O Boi Caprichoso tentou criar uma loja virtual. O Boi Garantido inicia esse mecanismo de maneira arriscada. Ambos, porém, não podem colher os frutos do lucro extraído na venda dos produtos. O jubileu do festival é crucial para que os bois compreendam que o dinheiro produzido por Caprichoso e Garantido precisa ficar com os próprios bumbás e não escoar pelo ralo da terceirização. Os bois são a maior riqueza – cultural, de lazer e até mesmo financeira – Parintins, mas ainda vivem de pires na mão.


Créditos: http://www.reporterparintins.com.br - com modificações nossas para fins didáticos