Mundo Texto




UMA SUGESTÃO AO AGRONEGÓCIO

Redação dissertativa pronta sobre: agronegócio, agricultura, mão de obra especializada, regiões agrícolas, entidades agrícolas, setor produtivo, estudos no agronegócio, produtividade agrícola, produção agrícola, universidades agrícolas.

A falta de mão de obra especializada pode atrapalhar o futuro do agronegócio no estado. Assunto que, aliás, é preocupação do setor produtivo em MT, mostrou encontro recente.

Quem sabe seja interessante criar um sistema de bolsas de estudos para jovens irem estudar em universidades em regiões agrícolas dos EUA, como Illinois e Iowa.

Esta coluna defendeu antes que o governo do estado criasse essas bolsas, como faz um estado na Argentina. Muda-se agora o foco e volta-se para entidades agrícolas ou talvez pudesse haver uma união entre estado e o setor produtivo para montar esse esquema.

Os jovens, selecionados com certo rigor acadêmico,passariam um ou dois anos em universidades norte americana com bons estudos no agronegócio. Ali se tem os artigos acadêmicos, professores e livros direcionados à produção no campo.

As bibliotecas, laboratórios, seminários, eventos, estariam abertos para que o jovem aprofundasse seus estudos naquilo que os americanos fizeram ou estão fazendo e que possam ser úteis a MT. Esses bolsistas assinariam um acordo de voltar para cá e trabalhar por tantos anos e aqui dividiam e espalhavam os conhecimentos adquiridos.

A direção do agronegócio no estado, através do MEC, buscaria acordos internacionais para mandar esses estudantes.Um arranjo para que fossem com todos os papéis necessários e que as universidades de lá abrissem as portas a eles.No geral, os estudos são gratuitos se houver o acordo entre as partes. Os alunos teriam que receber um dinheiro para viver uma vida normal onde morasse.

Seriam estudados os detalhes técnicos do aumento da produtividade da soja, algodão, milho e sei lá mais o que. Alguns desses bolsistas estudariam outras coisas. Exemplo? A política de subsídio nos EUA.Como e por que se formou isso. Como os EUA, com o subsídio, fazem seu produto ficar mais barato no exterior, daí serem competitivos mesmo com custo de produção maior. Como enfrentar esse assunto e tentar derrotá-lo por dentro.

Entenderiam porque os norte-americanos preferem dar o peixe e não ensinam ninguém na agricultura. Alguém conhece trabalho deles para ajudar países mais pobres a produzirem melhor no campo? Por que atuam assim?

Como os parlamentares das áreas agrícolas atuam em favor exclusivo do agronegócio. Como conseguem direcionar recursos para uma educação voltada para as coisas do campo.

Tem um mundo de temas a ser analisado e estudado com os gringos na área agrícola.Jovens daqui entenderiam o que houve no lugar no mundo onde é mais avançada a pesquisa agrícola e trariam esses conhecimentos para o futuro do agronegócio no estado.

Não é complicado montar um esquema internacional desses. Se dificuldade houver que se busque aproximação com o setor internacional de universidades brasileiras. Elas sabem direitinho o caminho das pedras.


Créditos: http://www.gazetadigital.com.br, Alfredo da Mota Menezes, com modificações nossas para fins didáticos